Em roda de conversa virtual, Rede de Sementes do Xingu fortalece laços

Mais de 50 pessoas se reuniram virtualmente em uma roda de conversa para debater e fortalecer os laços da Rede de Sementes do Xingu. 

Mesmo distantes, mais de 50 pessoas de todo o Brasil participaram no último dia 2/07 de uma roda de conversa para falar sobre Rede de Sementes do Xingu e seus desafios. Do Território Indígena do Xingu, Assentamento Bordolândia e Caeté, São Félix do Araguaia, Canarana, Nova Xavantina, São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Maranhão, Pernambuco e Noruega, a equipe técnica, conselheiros, diretoria e parceiros puderam estar lado a lado e fortalecer os laços da iniciativa que completou 13 anos de história. 

“A Rede lida com um tecido social extremamente delicado e a compreensão da delicadeza desse tecido social talvez seja a parte mais importante do trabalho de vocês. Ou seja, se vocês tivessem abordando este trabalho com objetivo explícito de atingir o mercado teria um risco destrutivo, de decompor e não fortalecer as comunidades”, ressaltou Ricardo Abramovay. Sua fala trouxe traz para reflexão de todos a importância de fortalecer as histórias de quem tece a rede, entendendo o modo de trabalhar das comunidades e suas especificidades, respeitando essa diversidade como patrimônio cultural que vai além dos números de mercado.

Abramovay também falou sobre a importância da bioeconomia no momento em que há uma maior preocupação com a conservação da Amazônia, inclusive por parte do empresariado brasileiro. Ressaltou, ainda, o pioneirismo da Rede no desenvolvimento de uma bioeconomia na região.

Bruna Dayanna Ferreira, diretora da ARSX, trouxe informações de como a Rede vem atuando no decorrer destes anos, como está estruturada hoje. Diante da pandemia de Covid-19 que avança pelo Mato Grosso, explicou para o grupo as medidas que estão sendo tomadas para o enfrentamento da doença.

Nurit Bensusan, a “madrinha” da Rede, segue inspirando a roda com sua provocadora colocação, dando destaque para a importância dos detalhes que estão por trás da instituição em si, principalmente no cenário atual que vem incitando essas reflexões: “É aqui que a experiência da Rede de Sementes do Xingu se torna ainda mais fundamental, ainda mais visceral: um exemplo vivo de outra forma de estar no mundo. Inspirado na diversidade, mostrando que floresta não é um mero coletivo de árvores, assim como a restauração florestal não se faz apenas somando coletores e plantios, sem identidade ou peculiaridades.” [Leia o texto de Nurit Bensusan na íntegra ou assista ao vídeo no podcast a pandemia nossa de cada dia].

Questionados sobre a “década da restauração”, o papel da Rede nesse contexto e a importância das parcerias, a roda se abriu para os participantes: “A Rede de Sementes do Xingu tem um papel essencial, é uma rede exemplo e que vem se multiplicando. Eu costumo falar que é a primeira rede na segunda geração das redes, a primeira geração foi a criação de um sonho e a segunda é a que tornou esse sonho realidade. E hoje vemos a terceira geração de redes nascendo deste passo que foi dado pela Rede de Sementes do Xingu”, declarou Fátima Pina Rodrigues, professora na UFSCAR. 

A roda de conversa trouxe a luz o desafio de valorizar a floresta em pé para além da geração de renda. A coleta de sementes, um produto florestal não madeireiro, tem tornado isso possível. Antônio Marques, diretor da rede, assentado da reforma agrária e coletor de sementes, compartilhou sua experiência como agricultor familiar e o papel que a rede tem na sua vida, destacando a importância do envolvimento do coletor nos processos de funcionamento da rede para alcançar o resultado de melhoria na qualidade de vida dos coletores para além da renda. As parcerias são fundamentais para garantir as atividades participativas da rede e assegurar a participação diversificada em gênero e geração. 

A Rede de Sementes do Xingu finalizou a roda de conversa certa de que terá muitos desafios pela frente e feliz com as conquistas que teve até aqui, e convidando a todos para acompanhar a transmissão ao vivo da premiação Ashden Awards 2020 que aconteceu no mesmo dia em que a Rede de Sementes do Xingu venceu na categoria de soluções climáticas.

Agradecemos a todos os parceiros desses 13 anos de caminhada da Associação Rede de Sementes do Xingu.

Deixe um comentário